UE não deixará Grécia dar calote ou sair da zona do euro, diz comissário

Olli Rehn disse ainda que a Grécia deve fazer mais para justificar o novo pacote € de 109 bilhões

Renan Carreira, da Agência Estado,

22 de setembro de 2011 | 12h56

A União Europeia (UE) vai dar suporte à Grécia, mas o endividado país precisa fazer mais para implementar as medidas com que se comprometeu, disse nesta quinta-feira, 22, Olli Rehn, comissário da UE para assuntos econômicos e monetários.

"Um incontrolável default ou a saída da Grécia da zona do euro causaria um enorme dano econômico e social, não apenas na Grécia, mas na União Europeia como um todo, com sérios desdobramentos para a economia do mundo", afirmou Rehn, de acordo com o texto do discurso dele no Instituto Peterson de Economia Internacional, em Washington. "Nós não vamos deixar isso acontecer", acrescentou.

Rehn disse ainda que a Grécia deve fazer mais a fim de justificar o novo pacote de resgate de 109 bilhões de euros. "Uma condição para um novo programa é que a Grécia implemente todas as medidas requeridas, sem qualquer hesitação", afirmou Rehn. "Nas últimas semanas, a Grécia percorreu um longo caminho na direção de atender essas demandas, mas nós ainda não chegamos lá."

O comissário da UE afirmou que Irlanda e Portugal, outros países a receber ajuda, estão realizando um trabalho muito melhor e acrescentou que não prevê um retorno da recessão na Europa. As informações são da Dow Jones. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.