UE não obtém acordo para enviar monitores à Ucrânia

Rússia quer enviar técnicos próprios para checar fluxo de gás nos gasodutos ucranianos, segundo bloco

Ana Conceição, da Agência Estado,

08 de janeiro de 2009 | 16h21

A União Europeia não conseguiu alcançar um acordo com autoridades da Rússia e da Ucrânia para enviar observadores para monitorar o fornecimento de gás para o bloco, informou o comissário europeu de Energia, Andris Piebalgs.  Veja também:Galeria de fotos dos países afetados  UE discute solução para crise do gás  A UE propôs enviar observadores internacionais, mas a Rússia exigiu mandar seus próprios monitores para a Ucrânia. O executivo-chefe da estatal russa OAO Gazprom acusou a Ucrânia de "arruinar" um possível acordo sobre o envio dos monitores, de acordo com agências locais. "A Ucrânia arruinou a assinatura do documento. Toda a responsabilidade cabe ao lado ucraniano. Tivemos a oportunidade, hoje, de retomar o fornecimento de gás, mas isso não aconteceu", disse Alexei Miller. Mais cedo, Miller tinha declarado que a Gazprom retomaria o fornecimento de gás para a União Europeia assim que monitores internacionais estivessem a postos para supervisionar o fluxo do combustível nos dutos ucranianos. A interrupção do fornecimento de gás russo atingiu em cheio a União Europeia, já que 80% do combustível importado pelo bloco é transportado pelos gasodutos ucranianos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.