UE oferece ao Mercosul participação em licitações públicas

A União Européia (UE) revelou - aproveitando a passagem por Bruxelas do ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Luiz Fernando Furlan, para um encontro com o comissário europeu de comércio, Pascal Lamy -, que tem um coringa na manga pronto a ser sacado. Demonstrou vontade de avançar na oferta agrícola em uma reunião ministerial a ser confirmada para o dia 28 de agosto. E ainda mostrou a última carta da primeira rodada da negociação para o acordo biregional com os países do Mercosul, indicando uma abertura de mercado às suas licitações púbicas, avaliadas em um valor de US$ 300 bilhões, ou 2,4% do Produto Interno Bruto (PIB) comunitário. Segundo a oferta da UE, Mercosul passará a ter o mesmo tratamento dado ao Chile, no acordo biregional assinado com aquele país em vigor desde janeiro deste ano. Ou seja, abertura às suas licitações nos três níveis de poder: federal, estadual e municipal, tendo o teto de US$ 243 mil para as licitações de bens e US$ 9,3 milhões para serviços.

Agencia Estado,

15 Julho 2003 | 07h42

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.