UE: PIB europeu está sob risco dos problemas fiscais

A recuperação econômica da União Europeia permanece frágil e enfrenta os riscos dos crescentes temores com as finanças dos governos da zona do euro, afirmou a Comissão Europeia hoje. Em seu relatório trimestral, a comissão manteve a previsão de que a economia da União Europeia e dos 16 Estados membros da zona do euro deve ter expansão de 0,7% neste ano. A estimativa da comissão se concentra nas sete maiores economias do bloco, que representam cerca de 80% do Produto Interno Bruto (PIB) da região. Entre esses países, a comissão reduziu a previsão para o Reino Unido e agora espera expansão de 0,6% neste ano, em vez de 0,9% como estimado anteriormente. As projeções para Alemanha e França foram mantidas em expansão de 1,2% neste ano.

DANIELLE CHAVES, Agencia Estado

25 de fevereiro de 2010 | 11h56

No entanto, a comissão alertou que os riscos para essas estimativas permanecem, já que as preocupações com o crescimento das dívidas e dos déficits orçamentários na zona do euro podem afetar outras áreas da economia europeia. A Grécia é o principal foco. Com um déficit orçamentário estimado em quase 13% do PIB no ano passado e um ônus da dívida perto de 120% do PIB, o país assustou investidores do mercado de bônus soberanos. Os temores com a Grécia também prejudicaram Portugal, Espanha e outros países endividados da região.

"Os acontecimentos nos mercados de bônus soberanos indicam que as crescentes preocupações com a sustentabilidade das finanças públicas em alguns Estados podem ter um impacto adverso mais forte do que o previsto anteriormente", disse a comissão no relatório. A Grécia não foi especificamente mencionada. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
Europa, PIB, crise

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.