UE pode retaliar contra aço e têxteis dos EUA

A UE pretende responder à subida das tarifas contra a importação do aço decretada pelos norte-americanos batendo no aço e nos produtos têxteis importados dos EUA, revelou nesta sexta-feira uma fonte da Comunidade. Estas medidas, segundo a mesma a fonte, só serão consideradas depois das conversações na Organização Mundial de Comércio (OMC), na próxima terça-feira entre negociadores europeus e americanos.A UE vai pedir compensações comerciais, o que pode ser um maior acesso ao mercado norte-americano de produtos europeus que não sejam o aço. Esta decisão foi tomada nesta sexta-feira durante a reunião do comitê 133, que congrega autoridades comerciais da Comissão Européia, além de representantes dos Estados-Membros.Segundo Anthony Gooch, diretor-geral do comércio, o comitê ratificou que as medidas dos Estados Unidos (subida de até 30% das tarifas do aço durante três anos) trarão um impacto "muito severo" ao setor siderúrgico europeu.O comitê estimou perdas em torno de US$ 2 bilhões. Bruxelas ainda não recebeu a resposta oficial dos Estados Unidos, mas o que se comenta nos bastidores diplomáticos é que os norte-americanos não estão dispostos a aceitar as exigências européias. Assim, a UE anuncia previamente que caso obtenha uma resposta negativa, "poderá retaliar" contra uma série de produtos norte-americanos que incluam o aço e os têxteis.O valor das exportações de aço dos EUA à Europa é da ordem de US$ 600 milhões, e para os têxteis, em torno de US$ 500 milhões. Fontes oficiais confirmaram que, em qualquer caso, a UE vai pedir à OMC a "suspensão de concessão", de forma que se exerça ou não imediatamente esta faculdade sancionadora.Genebra estabelece um prazo para tal efeito de 60 dias a partir do momento em que a medida seja supostamente considerada incompatível com as normas multilaterias. Os Estados Unidos prevêem subir suas tarifas contra o aço a partir de 20 de março, e o prazo para que a solicite a ampliação de sanções expira 20 de maio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.