UE poderá retaliar EUA, diz OMC

A União Européia recebeu com satisfação a decisão da OMC (Organização Mundial de Comércio) de banir o sistema de subsídios à exportação dos EUA. A decisão permitirá que os europeus imponham sanções de até US$ 4 bilhões contra as exportações norte-americanas. É, de longe, a maior derrota para os EUA numa disputa comercial na OMC. "Cabe aos EUA se adaptarem à decisão da OMC para resolver esta questão de uma vez por todas", disse Pascal Lamy, chefe da comissão de Comércio da UE.Fontes próximas à Comissão Executiva da UE disseram que a Europa poderá usar a ameaça de sanções comerciais em massa para pressionar os EUA na disputa sobre o setor siderúrgico. Os EUA estão estudando a aplicação de restrições às importações de aço para apoiar a indústria norte-americana. O polêmico regime de estímulo às exportações dos EUA (em inglês Foreign Sales Corporation Replacement Act) prevê estímulos fiscais multibilionários às empresas norte-americanas que operam no exterior. O órgão de apelação da OMC manteve as três decisões anteriores dos comitês de solução de controvérsias contra os EUA. Pelo acordo fechado entre a UE e os EUA emsetembro de 2000, a disputa agora volta para que o árbitro da OMC decida o montante das represálias que a UE pode impor. O relatório do árbitro deve sair no fim de março, segundo a UE.O representante comercial dos EUA, Robert Zoellick, virtualmente admitiu que os EUA vão ter de reformular seus planos na batalha com a UE para proteger os incentivos fiscais às companhias exportadoras norte-americanas estimados em US$ 4 bilhões. Zoellick divulgou uma nota afirmando que estava "decepcionado" com a decisão do órgão de apelação da OMC. "Vamos consultar o Congresso e os interesses norte-americanos atingidos para decidir nossos próximos passos", diz o comunicado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.