UE propõe fundo agrícola de US$ 1,6 bi para países pobres

Quantia será desembolsada durante os próximos 18 meses e procederá dos subsídios que a UE não deve utilizar

Efe,

07 de julho de 2008 | 08h20

O presidente da Comissão Européia, José Manuel Barroso, anunciou nesta segunda-feira, 7, no Japão, que propôs a criação de um fundo de ajuda agrícola de 1 bilhão de euros (cerca de US$ 1,6 bilhão) para a agricultura dos países em desenvolvimento, em resposta à crise alimentícia mundial.       Veja também:    Lula deve defender biocombustíveis no G8 Começa a cúpula do G8 em Hokkaido, no Japão Entenda a crise dos alimentos      "A União Européia pode dar um impulso à agricultura nos países em desenvolvimento", disse Barroso em entrevista coletiva realizada pouco antes da inauguração da Cúpula do Grupo dos Oito (G8) que se realiza na ilha de Hokkaido, no norte do país.   A crise alimentícia será um dos assuntos que os líderes do G8 abordarão durante a Cúpula, da qual a UE participa a cada ano. A quantidade de dinheiro anunciada por Barroso será desembolsada durante os próximos 18 meses, e procederá dos subsídios à agricultura que a UE não deve utilizar.   Uma parte desse fundo, disse Barroso, será destinado ao financiamento de sementes, de alimentos e de adubos nos países da África. A proposta de criação do fundo de ajuda agrícola deverá ser aprovado pelos 27 países membros da UE e pelo Parlamento Europeu.

Tudo o que sabemos sobre:
UEcrise dos alimentosinflaçãoG8

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.