UE quer reunião com Morales para discutir nacionalização

A União Européia (UE) quer aproveitar a Cúpula de Viena para discutir a nacionalização do setor de petróleo e gás na Bolívia com o presidente Evo Morales, de acordo com a comissária européia de Relações Exteriores, Benita Ferrero-Waldner. Antes de partir para a capital austríaca, Viena, a comissária afirmou que pretende realizar uma reunião privada com Morales no próximo sábado, dia reservado pela UE para encontros bilaterais e regionais."Será uma ocasião única para falarmos francamente, já que temos apenas uma reunião a cada dois anos", disse. No encontro, Ferrero-Waldner pretende pedir ao governante boliviano que respeite os investimentos realizados por empresas estrangeiras em seu país."Cada país tem o direito de nacionalizar seus recursos naturais, mas é preciso ter muito cuidado para não perder a confiança dos investidores". "É preciso ter o cuidado de comunicar aos demais Estados sobre a iminência dessa decisão também", acrescentou. A comissária voltou a afirmar que é pouco provável que a UE inicie as negociações para um acordo de associação com a Comunidade Andina de Nações (CAN) durante a cúpula, como era esperado. "Estamos abertos para dar início a esse processo. Mas, antes, a região precisa resolver seus problemas internos?, afirmou, referindo-se à anunciada saída da Venezuela do grupo, formado agora por Peru, Bolívia, Equador e Colômbia.Questionada sobre uma possível data para o início dessas negociações, Ferrero-Waldner respondeu que "a UE não pode decidir pelos países andinos"."Depende de eles consolidarem sua integração regional. Estamos esperando essa mensagem para poder começar a negociar".

Agencia Estado,

11 de maio de 2006 | 15h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.