UE recomenda ingresso da Eslováquia no euro em 2009

A Comissão Européia, braço executivo da União Européia, recomendou que a Eslováquia seja o 16º país a adotar o euro, apesar das preocupações do Banco Central Europeu (BCE) com a taxa de inflação do país. Dentro das regras da União Européia, um país se torna elegível para começar a usar o euro se a taxa de inflação for "sustentável" e não mais que 1,5 ponto porcentual acima da média dos três países da UE com a menor taxa de inflação.O BCE observou que, embora a Eslováquia esteja dentro desse critério, a autoridade monetária tem "preocupação considerável" de que a atual taxa de inflação não seja sustentável. "Vários fatores que derrubaram temporariamente a taxa de inflação (da Eslováquia) no passado provavelmente devem sumir", disse o BCE em comunicado, citando a recente valorização da coroa eslovaca e os preços regulados de energia do país como fatores importantes limitando a inflação.Mas a comissão tem uma visão diferente. "A Eslováquia alcançou um elevado grau de convergência econômica sustentável e está pronta para adotar o euro em 1º de janeiro", disse a principal autoridade econômica da comissão, Joaquin Almunia, em comunicado.A Eslováquia precisa de aprovação formal dos ministros das Finanças da União Européia para começar a usar o euro. Os ministros também terão de atrelar a coroa ao euro. Atualmente, a moeda eslovaca é negociada pouco acima de 32 coroas para 1 euro.Se os ministros aprovarem a Eslováquia, será a segunda nação ex-comunista a usar a moeda única, depois de a Eslovênia ter adotado o euro no começo deste ano.A expansão da zona do euro deve acontecer de forma lenta, com alguns países que entraram na União Européia em 2004 sendo cautelosos com a adoção da moeda única. O mercado de bônus e a moeda da Hungria passaram por turbulências em 2006 depois que a comissão disse que o país poderia não estar pronto para adotar o euro até 2014. A Hungria planejava entrar na zona do euro em 2010.A Polônia nunca estabeleceu uma data para adotar o euro. Alguns políticos do país pediram um referendo público sobre se o país deveria usar a moeda única, uma exigência para todos os novos membros da UE. A Lituânia, que esperava adotar o euro em 2007, e a Letônia, que planejava começar a usar o euro em 2008, foram forçadas a adiar a entrada devido às crescentes taxas de inflação.Entre os membros mais antigos da UE, o Reino Unido, a Suécia e a Dinamarca até o momento se negaram adotar o euro. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.