finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

UE se compromete a fortalecer relações com Brasil

A União Européia (UE) afirma estar comprometida com um fortalecimento das relações com o Brasil em um segundo mandato do presidente Luis Inácio Lula da Silva e a conclusão de um acordo comercial com o Mercosul, mas se nega a estipular um prazo para que o entendimento seja concretizado. "A Comissão Européia e o Brasil compartilham do mesmo compromisso de conclusão de um ambicioso acordo de associação entre o Mercosul e a UE", afirmou a comissária de Relações Exteriores da Europa, Benita Ferrero-Waldner em um comunicado em que "felicita" Lula pela vitória nas urnas.Mas, entre os negociadores europeus envolvidos no processo com o Mercosul desde 1999, a avaliação é de que já não se pode mais prever quando é que o acordo poderia ser fechado. Na semana que vem, no Rio de Janeiro, os dois blocos se reúnem pela primeira vez em meses para debater como relançarão o processo. Em Bruxelas, os diplomatas alertam que a UE precisa primeiro saber qual será o destino dado às negociações da Organização Mundial do Comércio (OMC) para depois definir qual será o grau de abertura do seu mercado para os produtos agrícolas do Mercosul. "Vamos manter um perfil baixo até que possamos saber o que de fato vai ocorrer na OMC", afirmou um dos negociadores.Em Genebra, a OMC continua com seu processo suspenso diante das diferenças entre os governos sobre como deve ocorrer a liberalização agrícola. Uma retomada de fato do processo ocorreria apenas no início de 2007. Só então Bruxelas estaria disposta a retomar as negociações com o Mercosul em cada um dos capítulos do acordo. Politicamente, porém, a Europa insiste que passará os próximos quatro anos "fortalecendo as relações bilaterais" e levando em consideração o "crescente interesse de ambos governos a cooperar em áreas sociais, transporte marítimo, meio ambiente, desenvolvimento regional e energia".A comissária da UE ainda apelou em seu comunicado para que o Brasil adote uma posição de liderança no que se refere ao debate internacional sobre o etanol nos próximos anos. Em meados de 2007, a Europa realiza uma conferência para discutir como acelerar a introdução do combustível no mercado europeu. Lula foi convidado e, segundo Bruxelas, sua presença confirmará a liderança do Brasil no assunto. EleiçõesBenita Ferrero Waldner ainda classificou como "exemplar" as eleições no Brasil e "congratulou" a Justiça eleitoral pela "precisão e rapidez no anúncio dos resultados". A comissária afirmou que acompanhou com "grande interesse" a campanha eleitoral, incluindo os debates na televisão entre os candidatos e os dois turnos de votação."Desejo todo o sucesso ao presidente Lula em seu segundo mandato. Quero assegura a ele nosso interesse em trabalhar em conjunto por um progresso nas relações entre o Brasil e a UE", concluiu a representante européia.

Agencia Estado,

30 de outubro de 2006 | 17h55

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.