UE suspenderá ajuda de seguro às companhias aéreas

A comissão da União Européia (UE) anunciou que suspenderá a ajuda de seguro de emergência às companhias aéreas em 31 de outubro, apesar da oposição do setor aéreo na França e na Espanha. As seguradoras cancelaram contratos e aumentaram os prêmios após os atentados de 11 de setembro, forçando os governos europeus a agir. "Não haverá prorrogação", disse Pedro Solbes, comissário para Assuntos Econômicos da UE, após reunião realizada com ministros das Finanças, em Luxemburgo. No final de outubro, a comissão julgará cada caso, segundo as regras da UE sobre a ajuda governamental, afirmou Solbes. Os países nórdicos e o Reino Unido, que tradicionalmente se opõem à ajuda dos governos, também acha que é tempo de as companhias aéreas retornarem ao mercado privado de seguros. Várias seguradoras privadas, inclusive a alemã Allianz AG Holding e a American International Group, propuseram novas apólices. Contudo, os governos da França e da Espanha querem continuar ajudando as suas operadoras, a Air France Group e a Iberia Lineas Aéreas de España SA. Esses governos e o setor aéreo desses países afirmam que as seguradoras privadas ainda podem cancelar apólices, deixando as operadoras desprotegidas. Sem o seguro total, as companhias aéreas européias afirmam que são forçadas a suspender os vôos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.