UE visa republicanos ao anunciar medidas de retaliação

Os direitos de importação que a União Européia se prepara para impor em retaliação às medidas adotadas por Washington visam atingir diretamente os estados norte-americanos fundamentais à reeleição de George W. Bush em 2004, afirmou nesta sexta-feira o Wall Street Journal.O comissário europeu de Comércio, Pascal Lamy, em entrevista ao jornal, indicou que espera que esta estratégia faça a administração americana mudar de idéia. "As contramedidas existem para provocar uma mudança de decisão", declarou Lamy.A decisão de impor tarifas de 8% a 30%, durante 3 anos, a alguns produtos siderúrgicos importados foi tomada por Washington, no dia 5 de março, e tinha com o objetivo de reforçar o apoio aos republicanos nos estados produtores de aço, expõe a matéria do jornal.Segundo a mesma fonte, a lista do comissário europeu inclui produtos como as motos Harley-Davidson, sucos de laranja Tropicana, produtos têxteis, além dos produtos siderúrgicos provenientes da Flórida, Pensilvânia, Virgínia (ocidental) e Wisconsin - estados que ofereceram a Bush sua curta vitória nas eleições de 2000.O porta-voz de Lamy, Anthony Gooch, afirmou nesta sexta-feira, durante coletiva, que a Comissão Européia enviou aos 15 países membros da UE a lista de produtos americanos que poderiam ser visados pelos europeus, mas não divulgou seu conteúdo, nem quis comentar a matéria do jornal norte-americano.Fontes comunitárias garantem que a lista visará principalmente produtos têxteis, aço e cítricos. A lista, que poderá ser emendada pelos países, será enviada diretamente à Organização Mundial do Comércio (OMC). As medidas não entrarão em vigor antes do segundo semestre deste ano. Em contrapartida, as medidas norte-americanas entraram em vigor nesta quarta-feira.Ainda hoje, Anthony Gooch promete um briefing técnico com a imprensa para dar maiores detalhes sobre as medidas européias.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.