Último dia para aderir ao fundos da Petrobras

Hoje é o último dia para aplicar até metade do saldo do Fundo de Garantia por Tempo de Serviço (FGTS) em cotas de fundos de ações ordinárias (ON, com direito a voto) da Petrobras. O interessado deve ficar atento ao horário-limite para adesão em cada instituição. No Unibanco é até 10h15 apenas, enquanto outros bancos esticam o horário até 17 ou 18 horas. Pela Internet, as adesões também deverão ser interrompidas ao longo do dia, para que haja tempo de envio dos documentos via fax - consulte o site da instituição.Amanhã, o optante vai conhecer o preço pelo qual as ações serão vendidas pelo governo. A expectativa é que fique próximo da cotação no mercado à vista. Na sexta-feira, o papel fechou cotado por R$ 46,10. Nessa hipótese, com o desconto de 20%, o optante faria a aquisição por R$ 36,88. Chase estima rendimento de 62% em 12 meses No Chase Manhattan, a estimativa é que em 12 meses a ação atingirá o preço-alvo de US$ 33,40, ou R$ 59,79, o que sugere rendimento de 62% para o optante sobre o preço de R$ 36,88. Já a perspectiva dos especialistas do ING Investment Management é que o valor do papel alcance R$ 72,00 no período, o que representa um ganho para os investidores de 95%.De acordo com o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), para definir o valor do papel para os investidores de varejo, será preciso analisar antes todas as ofertas feitas pelos investidores institucionais - bancos, fundos de pensão etc. -, do Brasil e do exterior. A partir daí, será calculada uma média ponderada de todas as ofertas enviadas até hoje, da qual vai sair o preço de varejo do papel. O que se sabe é que o preço máximo para o varejo é de R$ 58,00, menos o desconto de 20% oferecido pelo governo, o que dá R$ 46,40. Se a oferta institucional sair por menos de R$ 58,00, o aplicador de varejo também pagará menos. De acordo com especialistas, o preço deve ficar abaixo dos R$ 58,00 e alinhado ao preço à vista na Bolsa. Veja mais informações sobre o assunto e os detalhes da operação no link abaixo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.