coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Um dia para a publicidade brasileira

Festival de Cannes promoverá 'Brazil Day' no dia 19 de junho, com 13 palestras sobre mercado, inovações e campanhas nacionais

O Estado de S.Paulo

31 de março de 2014 | 02h03

A publicidade brasileira terá um espaço de destaque na edição 2014 do Cannes Lions Festival Internacional de Criatividade, que acontecerá entre os dias 15 e 21 de junho. O evento terá em seu programa uma série de palestras sobre o mercado brasileiro no dia 19, quando será realizado o 'Brazil Day'.

"O festival de Cannes em 2013 mostrou o Brasil como o segundo país mais criativo do mundo e São Paulo como a cidade mais criativa. É a prova de que a publicidade brasileira está em ascensão", disse o CEO do festival, Philip Thomas, em comunicado. O Estado é o representante oficial do festival Cannes Lions no Brasil.

No ano passado, a publicidade brasileira bateu recorde de conquista de leões, com 114 no total, superando de longe a marca anterior, de 80 prêmios em 2012. O País é o segundo a ter um evento para destacar a publicidade local no festival. No ano passado, foi a vez da China.

Programação. O "Brazil Day" terá 13 seminários, que vão abordar peculiaridades da cultura brasileira, cases da publicidade nacional e inovações na indústria. O diretor criativo da agência Tátil, Fred Gelli, por exemplo, vai comentar como a agência desenvolveu o logotipo da Olimpíada de 2016, no Rio.

O sócio e vice-presidente de planejamento estratégico da agência Leo Burnett, Marcelo Magalhães, falará sobre a expansão do consumo e sobre como as marcas influenciam o comportamento dos brasileiros. Ele apresentará o case da campanha "Vem pra Rua", da Fiat, que foi feita para convidar as pessoas a celebrar a Copa das Confederações. Mas o slogan acabou se tornando um dos termos usados nas redes sociais para convidar as pessoas a participar das manifestações que tomaram o País em junho.

"O brasileiro se apropriou de um slogan criado por uma marca e o transformou em um grito de guerra para uma questão ligada a cidadania", diz Magalhães.

O CEO da JWT no Brasil, Ezra Geld, vai abordar a criatividade do trabalho brasileiro que, segundo ele, se deve ao fato de que é feito em conjunto: as áreas de mídia e criação trabalham juntas, assim como as atividades offline e online. "O mercado brasileiro trabalha bem para as marcas porque a nossa proposta é integrada", disse Geld. Ele trará exemplos de como essa integração funciona na prática e deixará uma provação: por que isso não é padrão do mercado como um todo?

Já Alexandre Peralta, da agência Peralta, vai compartilhar os desafios de atuar no País como um agência independente. "A maioria das agências brasileiras são ligadas a conglomerados internacionais. Nós somos um dos poucos que se mantém independentes", disse.

O crescimento expressivo do uso de smartphones no Brasil e as oportunidades que as marcas terão para se comunicar com os clientes serão o tema da palestra de Léo Xavier, CEO da agência Pontomobi, focada em mobile marketing.

"O Brasil já tem a quarta maior base de smartphones do mundo. Mas esses dispositivos têm menos de 30% de penetração no mercado de celulares. O potencial é enorme", disse Xavier.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.