Um festival para uma indústria em transformação

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Um festival para uma indústria em transformação

Cannes Lions começa hoje com mudanças relevantes tanto nas premiações quanto na programação

Fernando Scheller, O Estado de S.Paulo

18 de junho de 2018 | 05h00

O Cannes Lions – Festival Internacional de Criatividade começa hoje com novidades relevantes tanto na programação, que foi dividida em claras áreas de interesse, quanto na premiação, que dará mais valor aos Leões, reduzindo a quantidade de prêmios distribuída em cada categoria. De acordo com o diretor geral de Cannes Lions, o brasileiro José Papa Neto, as mudanças refletem as transformações da própria indústria de comunicação. O Estadão é o representante oficial do evento no País

A nova estrutura implementada, que incluiu ainda a redução da duração do evento para cinco dias, veio após questionamentos de grandes grupos globais francês Publicis e o britânico WPP – nos últimos dias de Cannes Lions em 2017. “Essa mudança de estrutura reflete a reformulação do modelo de negócios e o que é considerado comunicação atualmente”, explica Papa Neto.

Ao analisar a indústria de comunicação como um todo, o festival optou por dar mais espaço a determinadas áreas. O Lions Innovation – que ocorre paralelamente a Cannes Lions e antes tinha só dois dias de duração, agora será estendido para toda a semana. Outros dois eventos paralelos – Entertainment e Health, voltados à indústria do entretenimento e à comunicação para o setor de saúde, respectivamente – continuarão a ter dois dias de duração.

O fator inovação também foi contemplado na reformulação das premiações do festival. Entre as novidades deste ano está a distribuição de Leões para Creative E-commerce, uma área em que agências e profissionais de comunicação são cada vez mais necessários para garantir, por meio de soluções criativas que vão além de uma campanha publicitária, a expansão das receitas do cliente.

Áreas de interesse. Além de Creative E-Commerce, outras quatro categorias foram criadas: Social & Influencer, Industry Craft, Sustainable Development Goals e Brand Experience & Activation. Agora, são 26 categorias. Os Leões serão distribuídos a partir de nove divisões temáticas: reach (alcance), communication (comunicação), craft (apuro técnico), experience (experiência), innovation (inovação), impact (impacto), good (bem comum), entertainment (entretenimento) e health (saúde).

Esses vetores também servirão para guiar a programação de palestras. Com essa divisão, os participantes de Cannes Lions terão a chance de escolher mais rapidamente quais conteúdos priorizar, uma vez que várias palestras e debates acontecerão de forma simultânea durante os cinco dias de Cannes Lions. 

Neste ano, a diversidade da programação vai incluir executivos de grandes empresas de tecnologia – como Amazon, Apple e Uber –, entrevistas com grandes nomes da comunicação (como Martin Sorrell, que deixou o WPP recentemente) e sobreviventes da tragédia de Parkland, na Flórida, que usaram o poder da comunicação como meio de combate à violência. 

Custos. Outra queixa dos grupos de comunicação no ano passado – os custos para participação no festival – foi respondida por reduções tanto no preço do passe do festival quanto em parcerias para facilitar a vida dos visitantes. Cannes Lions garantiu que, para esse ano, os preços dos hotéis na cidade ficassem congelados e negociou com restaurantes menus de até ¤ 30 para quem tiver o crachá do evento. Além disso, o preço do táxi entre o Aeroporto de Nice e Cannes também foi tabelado em ¤ 80.


Eliminação de subcategorias tenta valorizar Leões

Um total de 120 categorias foram de premiação foram eliminadas do festival Cannes Lions em 2018. A decisão foi tomada, segundo Philip Thomas, presidente da Ascential Events, holding que controla Cannes Lions, apesar de se saber que isso reduziria o número de inscrições – e, por consequência, a receita – no festival. A ideia é valorizar os prêmios ao reduzir o total de Leões distribuídos todos os anos. O total de inscrições brasileiras ficou em 2.131 este ano, uma queda ajustada de 10% em relação ao ano passado. Também houve leve queda nas inscrições globais, que somaram 32.272 peças. / F.S.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.