Dida Sampaio/Estadão
Dida Sampaio/Estadão

finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Um programa de renda básica não deve significar perda de direitos, diz Tabata sobre Renda Brasil

Parlamentares resistem à ideia de extinguir o abono salarial e o Farmácia Popular pelo novo programa; proposta deverá ser modificada pelo Legislativo

Daniel Weterman, O Estado de S.Paulo

24 de agosto de 2020 | 19h15

BRASÍLIA - O modelo do programa Renda Brasil apresentado pelo ministro da EconomiaPaulo Guedes, foi mal recebido no Congresso Nacional. Parlamentares cobram do governo um detalhamento da proposta e resistem à ideia de trocar o benefício pela extinção de programas como o abono salarial e a Farmácia Popular.

"Tenho uma preocupação muito grande de que a criação de um projeto de renda básica não signifique nenhuma perda de direito para a população", afirmou a deputada Tabata Amaral (PDT-SP), ponderando que é preciso esperar a proposta do governo para avaliar se a troca de um programa por outros será benéfica. 

“Com o fim do auxílio emergencial, não podemos ver milhões de pessoas entrando para a pobreza de braços cruzados. O trabalho da Frente Parlamentar em Defesa da Renda Básica, neste momento, é de realmente entender a proposta do governo, para que a gente possa construir algo que de fato seja bom para as pessoas”, disse a deputada

Conforme o Estadão antecipou, Guedes acenou com a concessão de um benefício médio de R$ 247 para o Renda Brasil, que vai substituir o Bolsa Família. O valor, no entanto, ainda pode ser maior, mas acabaria com programas sociais como o abono salarial e a Farmácia Popular.

No auxílio emergencial, o governo divulgou uma proposta de R$ 200 para informais, desempregados e beneficiários do Bolsa Família enfrentarem a crise provocada pela covid-19. Quando o Congresso quis ampliar o valor para R$ 500, Bolsonaro deu ok para fechar em R$ 600.

Integrantes da frente parlamentar se reuniram com Guedes na última quinta-feira, 20. O Congresso Nacional avalia criar uma comissão de deputados e senadores para discutir o programa Renda Brasil. Seria um colegiado no mesmo formato da comissão mista da reforma tributária.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.