Uma animação para competir no mundo

Demorou, mas agora está quase pronto. Minhocas é o primeiro longa metragem brasileiro feito com a técnica de stop motion, que usa bonecos. Ele tem como base um curta-metragem de 15 minutos que levou o prêmio do júri infantil do Festival AnimaMundi de 2006. No ano seguinte, a equipe da produtora Animaking mudou-se para Florianópolis para fazer o filme, e está instalada hoje no Sapiens Parque, no norte da ilha.

O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2012 | 03h09

"A previsão de lançamento é o segundo semestre de 2013", disse Paolo Conti, diretor do filme. A decisão, segundo ele, será das produtoras Fox Filmes e Globo Filmes. A finalização do longa está a cargo da O2, do diretor Fernando Meirelles.

Segundo Conti, um dos motivos para mudança para Florianópolis foi a busca de tecnologia. "Fizemos uma parceria com a universidade federal", afirmou o diretor. As bocas dos personagens foram produzidas numa impressora tridimensional. É a mesma técnica usada, por exemplo, para fazer os personagens do filme americano ParaNorman, lançado este ano.

Antes de ParaNorman, o filme Coraline, de 2009, havia usado impressoras 3D para dar vida aos personagens numa animação com a técnica de stop motion. "Já havíamos começado antes do lançamento de Coraline", destacou o diretor do filme brasileiro.

Cerca de 70 pessoas trabalharam no filme. O orçamento de R$ 10 milhões ficou bem abaixo dos similares internacionais. "A Fuga das Galinhas teve um orçamento de US$ 50 milhões", disse Conti. "Nosso orçamento foi um décimo disso." De olho no mercado nacional, as bocas dos personagens reproduzem fonemas em inglês.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.