Uma campanha voltada aos homens sobre direitos da mulher

Campanha da ONU usa rostos conhecidos para incluir novo público na discussão das questões de gênero

The New York Times, O Estado de S.Paulo

10 de março de 2014 | 02h07

Em uma campanha da Organização das Nações Unidas (ONU) que procura promover os direitos das mulheres, não há uma mulher à vista - e isso é proposital. A estratégia por trás da campanha é revelada por seu tema: "He for she" ("Ele por ela"). O comercial prega que homens defendam os direitos das mulheres do mundo, que são suas mães, irmãs e filhas.

O centro da campanha é um site, heforshe.org, onde os visitantes podem assistir a um vídeo de introdução à iniciativa. O vídeo exibe vários famosos defendendo a igualdade de gêneros, incluindo os atores Antonio Banderas, Matt Damon e Patrick Stewart, o bispo Desmond Tutu e o secretário-geral da ONU, Ban Ki-moon.

"Eu às vezes sinto que as melhores ideias são tão óbvias", disse Elizabeth Nyamayaro, consultora sênior de parcerias estratégicas e assistência da UN Women, unidade das Nações Unidas focada em questões de direitos de mulheres.

"Como organizações de mulheres, tendemos a pregar para nós mesmas", disse Nyamayaro. "Mulheres vêm falando com mulheres há muito tempo". Agora, chegou a hora de incluir os homens no debate.

A campanha começou pouco antes do Dia Internacional da Mulher, no dia 8. O vídeo é o primeiro passo para "um enorme programa de mobilização", disse Nyamayaro.

A campanha foi criada pela agência Publicis Dallas, que não cobrou pelo trabalho. "É uma premissa enganosamente simples", disse Brad Roseberry, diretor de criação da agência, que trabalhou na campanha junto com a diretora de criação adjunta Natalie Lavery.

Um dos próximos passos da campanha é incentivar as pessoas a trocarem suas fotos em redes sociais pelo logo "He for She". Além disso, a Ogilvy Public Relations, de Nova York, que também trabalha na campanha como voluntária, tentará atrair a atenção da mídia para o tema. (Tradução de Celso Paciornik)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.