Uma influência cada vez maior

1. O Fed (o banco central dos EUA) injetou US$ 85 bilhões na economia americana, para estimular o crédito e recuperar a atividade. Com mais dólares em circulação, o real se valorizou ante o dólar.

O Estado de S.Paulo

09 de junho de 2013 | 02h09

2. O dólar rompeu a barreira dos R$ 2,05 em 22 de maio, depois de o presidente do Fed, Ben Bernanke, dizer ao Congresso que pode começar a reduzir essa injeção de dólares nos próximos meses.

3. Após vários dias em alta, na noite de 4 de junho o ministro Guido Mantega anunciou a redução da alíquota do IOF nas aplicações de renda fixa de 6% para zero, para atrair investimentos.

4. Mesmo com essa medida, no dia seguinte o Banco Central teve de voltar a intervir para segurar o dólar, que foi a R$ 2,15.

5. Na sexta-feira, o dólar atingiu R$ 2,152 meia hora depois da divulgação da notícia da criação de 175 mil vagas nos Estados Unidos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.