Uma pequena inflação com crescimento em agosto seria bom, diz Fipe

O coordenador-adjunto do IPC-Fipe, Juarez Rizzieri, disse hoje que uma reversão do quadro inflacionário de uma queda de 0,10% projetada para julho, para uma alta entre 0,60% e 0,80% para agosto, poderá ser considerada como uma taxa de inflação benéfica, pois viria acompanhada de algum crescimento econômico. Na semana passada, Rizzieri afirmou que os índices negativos de inflação verificados desde junho não eram motivos de felicidade porque tinham como principal componente a queda da atividade. Para a partir de agosto, no entanto, com a expectativa de corte na taxa de juros aliado às liberações de microcréditos por parte do governo, abre-se alguma possibilidade para o crescimento da economia. O economista ressaltou que a cotação da moeda norte-americana poderá apresentar alguma elevação, tendo em vista a expectativa de queda de juros, e poderá se verificar também uma diminuição no fluxo de entrada de dólar para o câmbio. Mas os preços, segundo ele, não deverão sofrer grandes alterações simplesmente em razão do aumento do dólar. "Na verdade as empresas já trabalhavam com uma taxa de câmbio em torno de R$ 2,90 e por isso não deverão mexer nos preços. Por isso o aumento da inflação, mesmo considerando a elevação das tarifas, será benéfico porque viria acompanhado de algum crescimento da economia", disse. Leia também: Fipe revê projeção de inflação de 0% para ?0,10% IPC da Fipe registra deflação de 0,28%

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.