Informação para você ler, ouvir, assistir, dialogar e compartilhar!
Estadão Digital
Apenas R$99,90/ano
APENAS R$99,90/ANO APROVEITE

União Europeia anuncia acordo com Ucrânia sobre gás

Segundo primeiro-ministro da República Tcheca, bloco atingiu acordo verbal para enviar monitores ao país

Agências internacionais,

10 de janeiro de 2009 | 11h30

O primeiro-ministro da República Tcheca, Mirek Topolanek, comunicou neste sábado, 10, um "acordo verbal" com a Ucrânia para que observadores russos e europeus possam entrar no país e verificar o envio de gás para a Europa. "Temos um acordo verbal sobre posicionamento da comissão de acompanhamento nas estações de entrada e saída do gás, tanto em território ucraniano como em solo russo", disse Topolanek no início de uma reunião com seu colega russo, Vladimir Putin.   Veja também: Galeria de fotos dos países afetados     Topolanek, cujo país exerce atualmente a Presidência rotativa da União Européia (UE) e que chegou a Moscou após negociações na Ucrânia, disse ainda que há um acordo sobre a presença de especialistas da Rússia em território ucraniano e de analistas da Ucrânia em solo russo.   O chefe do governo tcheco propôs à Rússia que comece a posicionar os grupos de acompanhamento, e disse que os especialistas "já estão tanto em Moscou como em Kiev". "Temos prontos quatro acordos e lhe trouxe o quinto", disse Topolanek a Putin.   Por sua vez, o primeiro-ministro russo disse estar certo de que a mediação da UE permitirá a resolução da crise do gás com a Ucrânia. "O fato de que tenham conseguido reagir com tanta rapidez nos dá a confiança de que conseguiremos alcançar os acordos necessários", declarou Putin ao receber Topolanek nos arredores de Moscou.   Para retomar o fornecimento aos países europeus por meio da Ucrânia, totalmente suspensos desde quarta-feira, Moscou exige a assinatura de um protocolo sobre o sistema de controle e o envio de observadores russos e europeus aos pontos de entrada e saída de gás, assim como aos depósitos do insumo em território ucraniano.   As autoridades russas disseram que se viram obrigadas a suspender o bombeamento de gás para os consumidores europeus pela Ucrânia devido ao crescente furto do produto no país vizinho.   Bulgária   O presidente ucraniano, Viktor Yushchenko, afirmou neste sábado que o país vai fornecer seu próprio gás para a Bulgária e a Moldávia, que sofrem com o frio em meio ao corte do fluxo do gás russo.   Segundo ele, a Ucrânia vai ajudar os dois países enviando gás de suas próprias reservas a partir deste sábado. Yushchenko não especificou por quanto tempo isso será feito.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.