Denis Balibouse/Reuters
Denis Balibouse/Reuters

Juros

E-Investidor: Esperado, novo corte da Selic deve acelerar troca da renda fixa por variável

União Europeia anuncia propostas para reforma da OMC

Medidas são uma tentativa de superar ações dos Estados Unidos que colocaram a organização em crise

Reuters

26 de novembro de 2018 | 12h38

GENEBRA/BRUXELAS - A União Europeia (UE) publicou nesta segunda-feira, 26, propostas para a reforma de resolução de disputas na Organização Mundial do Comércio (OMC) que fechou com China, Índia e outros países, na esperança de superar as objeções dos Estados Unidos que colocaram a OMC em crise.

A organização está se esforçando para desenvolver um plano para a maior reforma em seus quase 24 anos de história, depois que o presidente norte-americano, Donald Trump, levou o principal tribunal de comércio mundial à beira do colapso, bloqueando as nomeações de seus juízes e ameaçando com a saída dos EUA.

“Agora, com uma ampla coalizão de membros da OMC, estamos apresentando nossas propostas mais concretas para a reforma da OMC. Espero que isso contribua para romper o atual impasse”, disse a comissária europeia de Comércio, Cecilia Malmstrom, em comunicado.

O governo Trump tem como alvo a fiscalização do comércio global como parte de uma campanha contra acordos comerciais que ele alega ter custado centenas de milhares de empregos nos EUA.

O embaixador dos Estados Unidos na OMC, Dennis Shea, criticou repetidas vezes o Órgão de Apelação da OMC, o supremo tribunal do comércio mundial, de ultrapassar sua autoridade e quebrar suas próprias regras, invalidando potencialmente seus julgamentos.

Ele exigiu que o Órgão de Apelação cumpra as regras e bloqueou o processo de nomeação, reduzindo o número de juízes. Agora há o mínimo de três, mas a partir de dezembro de 2019 haverá apenas um, impossibilitando a OMC de lançar recursos finais.

Uma autoridade da UE disse que o bloco identificou cinco preocupações dos EUA e a nova proposta as abordou de forma abrangente, acrescentando que agora cabe a Washington fazer sua parte.

As propostas serão apresentadas no Conselho-Geral da OMC, o grupo de mais alto nível fora de uma reunião ministerial, em 12 de dezembro.

Shea disse que os Estados Unidos se opuseram a uma versão anterior das propostas da UE, acrescentando que eles iam contra o desejo dos EUA de aumentar a prestação de contas no Órgão de Apelação.

A autoridade da UE afirmou que o bloco não recebeu nenhuma resposta oficial dos Estados Unidos às últimas propostas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.