Yves Herman/Reuters
Yves Herman/Reuters

União Europeia e Japão selam acordo comercial com impacto em 1/3 da economia mundial

Acordo entrará em vigor em fevereiro e irá moldar um mercado avaliado em mais de 600 milhões de consumidores

Monique Heemann, O Estado de S.Paulo

12 de dezembro de 2018 | 18h51

BRUXELAS - No mesmo dia em que Angela Merkel disse que o presidente eleito do Brasil, Jair Bolsonaro, coloca uma parceria de comércio exterior com o Mercosul em risco, legisladores da União Europeia colocaram fim a uma corrida de dois anos para selar, com o Japão, o maior acordo comercial bilateral do bloco, nesta quarta-feira, 12. A previsão é de que o pacto entre em vigor em fevereiro.

Ao cortar quase todas as tarifas entre a UE e o Japão, o acordo irá moldar um mercado avaliado em um terço da economia mundial, com mais de 600 milhões de consumidores.

"O maior acordo do mundo (...) é bom para empresas e cidadãos europeus e japoneses", afirmou o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, no Twitter. Também na rede social, o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, escreveu que as relações entre o bloco e o Japão "nunca foram tão fortes".

 Os líderes do Japão e da UE injetaram impulso político em quase quatro anos de discussões no início de 2017, quando o presidente americano, Donald Trump, foi eleito à Casa Branca e o Reino Unido começou as preparações para notificar a UE de sua saída do bloco. / com informações da Dow Jones Newswires

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.