Roosevelt Cassio/Reuters
Roosevelt Cassio/Reuters

UE investigará compra da Embraer pela Boeing por suspeita de concentração de mercado

Empresa americana fechou acordo de US$ 4,75 bilhões para ficar com a divisão comercial da Embraer; ações da Boeing na bolsa de Nova York recuam após anúncio da investigação

Redação, O Estado de S.Paulo

23 de setembro de 2019 | 10h27
Atualizado 23 de setembro de 2019 | 11h30

A Boeing será investigada durante cinco meses pela União Europeia por suspeita de práticas anticompetitivas após a oferta pelo controle da divisão comercial da Embraer. As informações são da agência Reuters. A União Europeia acredita que o acordo pode favorecer a concentração de mercado, possibilitando a alta de preços dos serviços. 

 

 

O acordo é um dos principais no setor de aviação civil comercial em décadas e está estimado em US$ 4,75 bilhões. Com a notícia, as ações da Boeing na Bolsa de Nova York caíram 0,76% e estavam cotadas a US$ 376,50 às 9h45 (horário de Brasília).

De acordo com fontes ligadas às companhias, empresas rivais e fornecedores foram consultados quanto à possível dinâmica do mercado em caso de concretização do negócio.  A análise preliminar da operação deve ser concluída no próximo dia 4.

Com essa operação de compra, a Boeing levaria vantagem no segmento de pequenos jatos, onde já há uma parcerica formada pela europeia Airbus e a canadense Bombardier. Uma das preocupações é a queda de competitividade de empresas recém-chegadas da China, Rússia e Japão.

A Boeing e a Embraer não comentaram o assunto.

Tudo o que sabemos sobre:
BoeingEmbraer

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.