Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

União Européia será autorizada a retaliar EUA em US$ 4 bilhões

A Organização Mundial do Comércio (OMC) deverá dar o direito à União Européia (UE) para que aplique uma retaliação de US$ 4 bilhões contra os Estados Unidos. A autorização será dada na quarta-feira e toda a atenção estará voltada ao comportamento de Bruxelas depois que ganhar o direito de aplicar uma das maiores sanções comerciais da história e contra a maior potência econômica do mundo. O direito de retaliação deverá ser dado aos europeus depois que a OMC comprovou que a lei que dá vantagens fiscais a seus exportadores não está de acordo com as regras internacionais. Bruxelas já chegou até mesmo a fazer uma lista de 1,8 mil produtos americanos que seriam retaliados, inclusive reatores nuclear, motocicletas Harley-Davidson e suco de laranja.A lista de produtos já chegou a ter 2,8 mil itens, mas acabou sendo reduzida à pedido de alguns países europeus que são contrários à retaliação. Produtos do setor de máquinas e equipamentos acabaram sendo cortado da lista final. Caso fosse de fato aplicada, a retaliação poderia favorecer outros exportadores no mundo, como o Brasil, que poderiam ocupar o espaço aberto deixado pelos produtos norte-americanos. PressãoMas diante do valor da retaliação e das implicações políticas que geraria nas já abaladas relações entre a UE e os Estados Unidos, tudo indica que a autorização de aplicar a sanção jamais será utilizada e servirá apenas como um instrumento de pressão por parte de Bruxelas para que a lei norte-americana seja reformada. "Ninguém ganhará com isso, pois sabemos que, em muitos setores, seria impossível aplicar uma retaliação contra os Estados Unidos", afirma um experiente diplomata europeu em Genebra. "No atual estado das relações transatlânticas, o melhor é continuar apontando as armas e atirando sem munição. Qualquer ação concreta seria uma catástrofe para o sistema multilateral do comércio", completou o diplomata de Bruxelas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.