Unibanco recomenda carteira de ações

O racionamento e as mudanças nas perspectivas macroeconômicas levaram o Unibanco a fazer algumas alterações em sua carteira de recomendações. A instituição colocou em suas indicações as ações das companhias Emae e Votorantim Celulose e Papel (VCP), e ampliou o espaço para a telefonia celular, incluindo Tele Centro-Oeste e Tele Norte Celular.De acordo com o chefe de pesquisa do Unibanco, Pedro Bastos, a escolha da Emae foi motivada pela perspectiva de reversão do Rio Pinheiros, o que poderia elevar a receita e a geração de caixa da companhia. O preço-alvo para as ações preferenciais (PN, sem direito a voto) é de R$ 17 por lote de mil, o que significa uma possibilidade de ganho de 67,48% em 12 meses, em relação ao fechamento do pregão de sexta-feira.Quanto à VCP, Bastos destacou que a empresa está protegida com geração própria de energia. Segundo o executivo, a VCP conta com a possibilidade de redirecionar suas vendas, ampliando as exportações, em casos de problemas internos com demanda. Ele também lembrou que a empresa é forte candidata a comprar a companhia Cenibra, que vai a leilão programado para esta semana. A expectativa de lucro com as ações da VCP é de 38,46% em 12 meses, com preço-alvo de R$ 90 por lote de mil.Já a escolha das empresas de telefonia celular foi feita com base na perspectiva de consolidação do setor, de acordo com Bastos. O destaque dele foi para a Tele Norte Celular, que segundo o especialista representa "o meio mais barato de comprar teles celulares hoje". Ele chamou a atenção para o preço-alvo de R$ 3,30, que foi projetado para o lote de mil papéis, o que aponta um espaço de ganho de 148,12% em 12 meses.Boas apostasBastos contou que foi dada bastante atenção para os possíveis impactos da escassez de energia elétrica sobre as empresas e os setores da economia. Além disso, ele explicou que a carteira também misturou empresas que podem se beneficiar com a volta do dólar para patamares mais baixos e outras que representam posições defensivas para casos de alta na moeda americana.Petrobrás, Bradesco, Sabesp, Varig, Coteminas, Embraer, Telemar, Brasil Telecom Participações e Tele Leste Celular, que já estavam na carteira, foram mantidas como boas apostas para este período de turbulências internas e externas. Foram retiradas da carteira Copel, Duratex e Sadia.Bastos lembrou que é cedo para fazer avaliações sobre os impactos do racionamento. Mas afirmou que a estratégia adotada foi de prevenção em relação às incertezas dos efeitos sobre essas empresas. Na opinião do especialista, o mercado deve continuar como "uma montanha russa" nos próximos meses, muito suscetível às notícias. Entretanto, ele avaliou que este é um bom momento para se aproveitar a oportunidade de comprar boas companhias com preços baratos, após as sucessivas quedas na Bolsa nos últimos meses.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.