Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Unibanco recomenda manter papéis da Klabin

Os analistas do Unibanco iniciaram a cobertura das ações da Klabin com recomendação de manutenção. O preço-alvo projetado é de R$ 1,16 por ação preferencial (sem data prevista para que essa meta seja atingida), um potencial de alta de 26,08%, em relação ao fechamento de ontem. Segundo relatório dos analistas Simone Rosito e Cleomar Parisi, divulgado em 26 de abril, a recente alta do dólar tem tornado instável o preço da ações da Klabin, pois boa parte da dívida da empresa é denominada em moeda americana. Além disso, também contribuem negativamente para a companhia a lenta recuperação da economia norte-americana e a crise argentina. "Apesar de acreditarmos que a empresa está empenhada em reestruturar seu endividamento, o atual quadro macroeconômico tende a continuar alimentando tal volatilidade", prevêem os profissionais. "Ainda não consideramos o momento atual propício para o investimento nos papéis da Klabin", acrescentam. No entanto, o potencial de valorização oferecido faz com que os analistas recomendem uma atenção especial aos papéis. Entre os pontos fortes da empresa destacados pelos analistas do Unibanco estão a reestruturação da dívida, o foco de negócios bem definido, oportunidades de parcerias, o crescente consumo de papel no País e a atuação da empresa nos mercados interno e externo.

Agencia Estado,

04 de maio de 2001 | 10h01

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.