Unibanco reduz juro de crédito a pessoas físicas e jurídicas

Após Itaú e Bradesco, o Unibanco também anunciou uma redução das taxas de juros cobradas dos clientes pessoas físicas e jurídicas, como reflexo da queda do compulsório ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central (BC). Entre as linhas para pessoa física, o cheque especial saiu do intervalo de 2,30% (taxa mínima) a 9,30% (taxa máxima) ao mês para 1,90% a 8,70% mensais e o crédito pessoal parcelado passou de 5,50% a 6,30% para 5,40% a 6,20% ao mês. No crédito para pessoa jurídica, três produtos tiveram redução de taxas. A taxa mensal do cheque especial saiu de 2,30% a 8,30% para 1,90% a 7,90%. O desconto de duplicatas passou de um patamar de 3,40% a 4,30% ao mês para um intervalo entre 2,40% e 2,90% ao mês. Já o desconto de cheques saiu de 3,40% a 4,30% ao mês para um intervalo entre 3,30% a 4,30% ao mês. Os novos juros valem a partir de segunda-feira. O diretor de produtos do Unibanco, Rogério Estevão, disse que a instituição está mantendo o compromisso de repassar imediatamente às taxas cobradas o benefício da redução do compulsório. O Banco Central reduziu hoje o recolhimento sobre depósitos à vista de 60% para 45%, com o objetivo de reduzir o custo de crédito e conseqüentemente estimular o aumento dos volumes emprestados pelos bancos. "Acredito que o crédito terá uma reação, mas ainda não haverá nenhuma mudança espetacular. O compulsório precisa cair mais", afirmou o executivo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.