Unica acredita ter ´complicado´ ministro da Agricultura

O usineiro e conselheiro da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), Maurílio Biagi Filho, voltou a criticar, nesta quarta-feira, a posição de vários empresários do setor sucroalcooleiro diante da recente crise do álcool, e admitiu até que o ministro da Agricultura, Roberto Rodrigues, correria riscos no cargo. Rodrigues foi o avalista dos usineiros no acordo, descumprido por eles, que fixou em R$ 1,05 o preço do álcool nas usinas em janeiro."Deixamos o Roberto em situação complicada e deveríamos dar mais respaldo a ele", disse Biagi. "O pior é que muitos não têm sequer idéia de que o ministro corre risco", completou. O empresário reafirmou que o setor sucroalcooleiro não tem planejamento estratégico para ao menos um médio prazo e disse que está perplexo com a falta de sensibilidade dos empresários."Na reunião da Unica de terça-feira, por exemplo, o pessoal achava que está tudo certo, ou seja, não tinha noção do que está acontecendo", completou. Para Biagi, apesar da queda no consumo, o abastecimento de álcool ainda está ameaçado, os estoques estão baixos, mas a crise tende a passar a partir da segunda quinzena de março, com o início da moagem em várias usinas paulistas. "Pode até ser que nada aconteça; mas aí vamos repetir de novo que Deus é brasileiro e é usineiro", concluiu o empresário.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.