Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Unicamp abre laboratório de pesquisa de biocombustíveis

Com investimento de R$ 7,9 milhões da Shell Brasil Petróleo, a Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), no interior de São Paulo, inaugurou nesta segunda-feira, 25, o Laboratório de Caracterização de Biomassa, especializado em pesquisas de biocombustíveis. O laboratório servirá para estudos de docentes e pesquisadores da Unicamp e também para clientes externos. Construído dentro da Unicamp, a Shell e outras companhias podem desenvolver estudos sobre biomassa no espaço, que é vinculado à Faculdade de Engenharia Química.

RICARDO BRANDT, Agencia Estado

25 de novembro de 2013 | 18h12

Apesar da vocação natural para análises de etanol de segunda geração, a partir do bagaço da cana-de-açúcar, o laboratório pode servir para pesquisas de diversas áreas, como de alimentos, biologia e química. "A unidade, certamente, será muito útil a todos aqueles que precisarem fazer caracterização de sólidos", afirma a professora Maria Aparecida Silva, uma das idealizadoras do projeto.

A Shell investiu R$ 6 milhões só na construção do prédio e na compra de equipamentos. A Unicamp cedeu o terreno, a infraestrutura urbana e o sistema de comunicação. O laboratório começa a funcionar em dezembro e entra em operação plena em março. As tratativas para pesquisa colaborativa entre Unicamp e Shell começaram em 2007. A construção do laboratório foi apresentada em 2008 para a Agência Nacional do Petróleo (ANP), que pela lei fiscaliza as pesquisas realizadas pelas companhias exploradoras.

Tudo o que sabemos sobre:
ShelllaboratórioUnicamp

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.