bolsa

E-Investidor: Itaúsa, Petrobras e Via Varejo são as ações queridinhas do brasileiro

Unicamp inaugura incubadora de empresas

A Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) inaugurou, nesta sexta-feira, a Incubadora de Empresas de Base Tecnológica (Incamp) da instituição. O empreendimento conta com a parceria do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), que investirá R$ 80 mil, em dois anos, na incubadora. Dos 22 projetos analisados para serem incubados, nove foram aprovados. Os projetos são o Inovace, engenharia de software, TCP Telecom, telecomunicações, Bioware, indústria química de transformação de resíduos agrícolas em bio-óleo combustível, Green Technologies, alimentos de conveniência, Eletrovento, energia eólica, Ignis Comunicação, sistema de redes, Techron, análise de gases, Griaule, segurança e identificação digital, e Tech-Flex, isolamento térmico. Os empreendedores abrigados na Incamp são docentes, doutorandos, alunos e ex-alunos da universidade. O Sebrae acompanhará e auditará a incubadora, em conjunto com a gerência, que será exercida por um profissional da Unicamp que tem experiência com o intercâmbio entre universidade e empresa, o engenheiro Davi de Sales.Segundo o professor Douglas Eduardo Zampieri, superintendente do Centro de Tecnologia (CT) da Unicamp, todo esse apoio facilitará o processo de saída da incubadora das empresas nascentes, quando elas tiveram um produto pronto para o mercado. Além do apoio do Sebrae e do CT, a Incamp conta com o auxílio técnico do Escritório de Difusão e Serviços Tecnológicos da instituição. As empresas poderão ficar incubadas por até dois anos. Este é o período para que desenvolvam produtos. Ao chegar na etapa final, contam com suporte da Unicamp e do Sebrae para se lançar no mercado, o que pode ser feito de várias formas."A empresa pode licenciar sua tecnologia, pode receber investimentos de capital de risco e até ela mesma se tornar produtora", explicou Zampieri. Os empreendedores têm um prazo de 60 dias para constituir formalmente suas empresas, uma vez que a incubadora começou a funcionar nesta sexta.A Unicamp cedeu o espaço para abrigar a incubadora, que ficará em um prédio de 500 metros quadrados do CT. Cada empresa ficará em um módulo de 25 metros quadrados e terá à sua disposição infra-estrutura completa ? computadores, telefones, secretária, auditório e sala de reuniões, entre outros ? para suas atividades. Os empreendedores pagam uma taxa simbólica de R$ 200,00 mensais para manutenção e pequenas despesas. Entre as assessorias técnicas disponibilizadas pelo Sebrae e Unicamp para as empresas incubadas estão a elaboração e o encaminhamento de projetos para captação de recursos junto às agências de fomento à pesquisa, apresentação de projetos para os investidores, registro de patentes e licenciamento de produtos. A incubadora também oferece orientação na elaboração ou atualização de planos de negócios, apoio na participação de feiras e eventos e capacitação na área empresarial. A incubadora conta com uma localização privilegiada, não só por ficar dentro da Unicamp, mas por estar em um dos principais pólos de pesquisa do Brasil. Próximas da Unicamp estão instituições tradicionais, como o Laboratório Nacional de Luz Síncrotron (LN LS), Centro de Pesquisa de Desenvolvimento em Telecomunicações (CPqD) e Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), além da própria universidade ser uma das mais importantes na pesquisa nacional. Existem no Brasil aproximadamente 150 incubadoras, 64 delas localizadas na região Sudeste, segundo a Incamp.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.