Unidade de Gravataí vai produzir modelo popular

Novo carro da General Motors, o primeiro com tecnologia coreana, deve custar menos que o Celta, hoje vendido por cerca de R$ 25 mil

, O Estadao de S.Paulo

06 de junho de 2009 | 00h00

O novo carro que a montadora General Motors (GM) vai produzir em sua fábrica de Gravataí, no Rio Grande do Sul, deve ser um modelo de baixo custo, mais barato que o Celta, hoje vendido por R$ 25 mil. O projeto, ainda em fase de desenvolvimento, deverá marcar a estreia do primeiro veículo com tecnologia coreana, que passará a ser adotada pela montadora no País.A confirmação da nova família de produtos, prevista para as próximas semanas, esbarra, porém, na liberação, esperada pela direção da montadora brasileira, de linhas de financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e de outros bancos. A GM já espalhou consultas por diversas instituições financeiras, públicas e privadas.Até agora, os produtos da marca, na sua maioria, eram desenvolvidos na Europa, pela Opel - que teve a maior parte de suas ações vendida para a fabricante de autopeças canadense Magna e para o grupo russo Sberbank -, e no próprio País, casos dos modelos Celta, Meriva e Montana. O BNDES confirmou, na semana passada, que analisa pedidos de financiamento da empresa. Entre analistas, há dúvidas sobre a viabilidade de emprestar dinheiro para uma companhia cuja matriz americana está em concordata.CRÉDITODe outro lado, há os que apostam na liberação do crédito, já que o banco teria caixa de sobra para fomentar a produção industrial, com vista a garantir um resultado razoável para o Produto Interno Bruto (PIB) deste ano.O presidente da GM do Brasil e Mercosul, Jaime Ardila, tem dito que a empresa precisa de US$ 1 bilhão para completar um projeto de renovação de toda a sua linha de produtos até 2012. O próprio executivo afirmou, na semana passada, que a subsidária tem condições de bancar esse investimento com recursos próprios e, se preciso, recorreria aos bancos.Desde sua inauguração, em julho de 2000, a fábrica de Gravataí recebeu quase US$ 800 milhões em investimentos, sendo US$ 554 milhões para a construção do complexo e início da produção do Celta e US$ 240 milhões na segunda fase, em 2007, quando a capacidade produtiva passou de 120 mil para 230 mil unidades por ano e teve início a produção do Prisma, a versão sedã do modelo Celta.Para o início da produção de um terceiro modelo, o grupo precisará construir uma nova linha de montagem, pois a atual não comportaria o novo produto. Até maio, foram produzidos em Gravataí 1,3 milhão de veículos.Hoje, o complexo de Gravataí, incluindo os 17 fornecedores sistemistas, emprega 5,2 mil funcionários que trabalham em dois turnos. SIMPLIFICAÇÃOA GM não é única montadora que trabalha no desenvolvimento do chamada carro de baixo custo. Fiat e Renault/Nissan já falaram no tema, mas nenhuma tem projeto concreto no País, por enquanto.Enquanto não chegam os novos projetos, as montadoras brasileiras tentam adaptar seus veículos atuais para atender à demanda por carros mais baratos.A Volkswagen trabalha em uma nova simplificação do Gol City, a única versão mantida da chamada geração IV, que custa a partir de R$ 25,3 mil, enquanto o modelo mais barato na linha chamada de novo Gol custa a partir de R$ 27,3 mil.Com preço mais próximo do Mille, da Fiat, vendido hoje por R$ 22 mil, a versão mais barata do Gol é esperada pelo mercado para o fim do ano. A Fiat, por sua vez, trabalha na reformulação do Mille, modelo que deve passar pela sua maior transformação em mais de 20 anos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.