Unimed: conveniados estão apreensivos

A Fundação Procon-SP vem recebendo milhares de consultas em seus telefones e postos de atendimento de clientes da Unimed. Esses consumidores estão preocupados com as notícias que saíram na imprensa nos últimos dias sobre a situação financeira da cooperativa médica. A principal dúvida dos consumidores é se devem continuar ou não com os contratos da Unimed. Idosos e portadores de doenças são os mais apreensivos.A técnica da área de saúde do Procon, Hilma Araújo, recomenda aos conveniados da Unimed que mantenham seus contratos. "O Procon não recebeu nenhum comunicado oficial da Unimed sobre a suspensão de atendimento aos clientes por problemas financeiros", ressalta. Ela diz que os contratos devem der rigorosamente cumpridos pela empresa, como valor da mensalidade e prazos de carência.Se o consumidor tiver algum problema com relação à qualidade do atendimento ou descredenciamento de médicos ou hospitais, deve procurar os órgãos de defesa do consumidor ou encaminhar o caso ao Juizado Especial Cível. Se, por exemplo, uma pessoa se dirigir a hospital credenciado a Unimed e o atendimento for negado, ela pode pagar pela consulta e depois pedir o reembolso na Justiça.Hilma lembra que cancelar o contrato com a Unimed e contratar outro plano de saúde pode significar um grande prejuízo para o consumidor. Além de precisar cumprir as carências contratuais da nova empresa, o consumidor pode sofrer prejuízos, principalmente se for idoso ou portador de alguma doença preexistente, pois as mensalidades cobradas podem sofrer grandes reajustes. No próximo dia 5 de dezembro, a diretoria do Procon-SP vai receber representantes da Unimed para discutir os problemas e dúvidas dos consumidores com relação a situação da empresa.Associado deve ficar atento e fazer pesquisa de mercadoMesmo assim, vale a pena para o associado da Unimed fazer uma pesquisa de mercado. Isso porque muitas empresas oferecem trocas de planos de saúde sem prazo de carência e é possível negociar novos contratos em condições favoráveis, devido à forte concorrência do setor. Se, porventura, a Unimed São Paulo sofrer intervenção da ANS e sua carteira for leiloada, a empresa que vier a assumi-la pode reenquadrar os contratos de acordo com suas necessidades. Assim, as características do contrato podem tornar-se desfavoráveis para o consumidor. Nessas condições, a migração para outro plano poderia oferecer maior dificuldade de negociação.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.