Unimeds terão que enviar cadastro à ANS

Uma liminar conseguida por cerca de 30 Unimeds - agrupadas na Federação das Cooperativas Médicas do Rio Grande do Sul - que garantia o não envio dos cadastros de seus clientes à Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) foi derrubada ontem pela 3ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região, em Porto Alegre.Até agosto, a ANS recebeu cadastros de 27,5 milhões de beneficiários de planos de saúde e prevê que, com a derrubada da liminar das Unimeds gaúchas, este número deverá chegar a 30 milhões de consumidores. As Unimeds gaúchas terão de cumprir a lei e enviar o mais rápido possível os cadastros de seus clientes à ANS. Além disso, pagarão a Taxa de Saúde Suplementar, que é cobrada trimestralmente sobre a média de consumidores de planos de saúde multiplicada por cerca de R$ 0,30. A ANS estima que recolherá cerca de R$ 40 milhões por ano de Taxa de Saúde Suplementar, num setor que movimenta, segundo estimativas das associações de operadoras de planos de saúde, R$ 30 bilhões anualmente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.