finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Unipar: US$ 100 mi por ações da Suzano

Empresa define os ativos que serão negociados com a Petrobrás

Irany Tereza, O Estadao de S.Paulo

07 de agosto de 2015 | 00h00

A Unipar já pôs na mesa os ativos que negociará com a Petrobrás para a formação da Companhia Petroquímica do Sudeste (CPS): a participação acionária na Petroquímica União, estimada hoje em pouco mais de 50% do capital total e 80% do votante; as duas unidades de polietilenos (União e Cubatão), incluindo a nova fábrica em construção em Santo André, e a divisão química no grupo, na vizinhança de Capuava.Ficarão de fora do acerto de contas a Carbocloro, na qual a Unipar divide o controle meio a meio com a Occidental, a União Terminais (tancagens em portos de São Paulo, Rio e Paraná) e a empresa de distribuição do grupo, Unipar Comercial.Esta semana, a Unipar inicia a antecipação da compra de participações acionárias em empresas nas quais participava do controle junto com a Suzano - comprada no início do mês pela Petrobrás - para também incluir essas ações em seus ativos. ''''Vamos exercer o direito de preferência na Riopolímeros, Petroflex e na PQU. Essas antecipações deverão representar valor superior a US$ 100 milhões, como investimento adicional nosso'''', afirmou ao Estado o presidente da Unipar, Roberto Dias Garcia. Ele lembrou que, hoje, a Unipar está cotada em R$ 2,5 bilhões na Bolsa, pelo valor das ações preferenciais e ordinárias do grupo.Pelo acordo de acionistas, os sócios têm preferência na compra de participações de seus parceiros - em caso de venda a terceiros - proporcionais à própria fatia no capital da empresa. Assim, a Unipar comprará 17% da participação da Suzano na Riopolímeros e passará a deter 50% do complexo gasoquímico. Na PQU, a empresa terá direito a boa parte dos 6% da Suzano. Já na Petroflex, apenas um terço dos 20% da Suzano poderá ser adquirido pela Unipar. ''''A modelagem do acordo com a Petrobrás ainda precisa ser aperfeiçoada'''', diz Garcia.Mas, grosso modo, em torno de 80% do Grupo Unipar será consolidado nesse acerto de contas. ''''Ao longo desta semana, vamos calcular, a quatro mãos com a Petrobrás, o valor desses ativos, mas acredito que não haverá grande diferença'''', disse Garcia, que preferiu não arriscar valores. ''''Vamos considerar os mesmos critérios usados para a Suzano para atingir um número consistente.''''O executivo confirmou que o grupo buscará financiamento bancário, na rede privada ou no BNDES, para efetivar a compra das participações da Suzano. Mas disse que está negociando a entrada de outros sócios na CPS, que reunirá, além dos seus ativos, aqueles que a Petrobrás comprou da Suzano, por R$ 2,7 bilhões, valor considerado elevado para o mercado. A estatal também assumiu a dívida de R$ 1,4 bilhão.A participação da Petrobrás na gestão estratégica da nova companhia é bem aceita pela Unipar, que será majoritária no negócio, provavelmente com 60%. Mas, segundo ele, não é intenção da empresa reunir BNDES e fundos de pensão na Companhia do Sudeste, embora estes investidores devam participar de empreendimentos da nova empresa. ''''A idéia é que a CPS possa alavancar investimentos futuros, sendo o instrumento natural para os empreendimentos de segunda geração do Comperj (Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro)''''.O complexo que a Petrobrás construirá em Itaboraí terá dois grande blocos. O primeiro reunirá uma refinaria para óleo pesado e uma central petroquímica. Esta parte será da Petrobrás. O segundo bloco(segunda geração) será a produção de polietileno e polipropileno, nos quais a CPS dividirá o controle com outras empresas.RESULTADOA Unipar divulgou ontem o resultado do segundo trimestre. A companhia registrou lucro líquido de R$ 41,109 milhões, ante prejuízo de R$ 66 mil no mesmo período de 2006.FRASES Roberto Dias GarciaPresidente da Unipar''''Vamos exercer o direito de preferência na Riopolímeros, Petroflex e PQU. Essas antecipações deverão representar mais de US$ 100 milhões''''''''A modelagem do acordo com a Petrobrás ainda precisa ser aperfeiçoada''''''''Vamos considerar os mesmos critérios usados para a Suzano para atingir um número consistente''''

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.