United Airlines vai demitir 1,25 mil empregados

A United Airlines vai demitir 1.250 empregados a partir deste trimestre, fechar três centros de reservas e uma linha de manutenção e vai converter cinco estações ao serviço United Express. Um porta-voz da UAL disse que a companhia emprega cerca de 84 mil pessoas e o corte representa aproximadamente 1,5% da força de trabalho total. Ele afirmou que ainda é muito para estimar qualquer encargo relacionado às demissões. Com essas medidas, a companhia espera cortar custos em cerca de US$ 100 milhões anualmente. O chairman, presidente e executivo-chefe da operadora, Glenn Tilton, disse que a empresa está enfrentando "o desafio mais difícil de sua história" e que essas ações são "infelizmente? necessárias, em função do atual ?ambiente fraco? de receita. "Esses cortes vão reduzir parte de nossos custos, mas não vão promover as economias com despesas trabalhistas que precisamos para que nosso plano de recuperação tenha sucesso", acrescentou o executivo. Na sexta-feira passada, a UAL, controladora da segunda maior empresa aérea dos EUA, anunciou um prejuízo líquido de US$ 889 milhões no terceiro trimestre deste ano, ou US$ 15,57 por ação, e receita de US$ 3,7 bilhões. A companhia também alertou que iria consumir uma quantidade ainda maior de seu caixa por dia no quarto trimestre, por causa de tendências sazonais e da contínua debilidade do setor.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.