Uruguai critica barreiras aos produtos brasileiros

O presidente do Uruguai, Jorge Batlle, criticou a tendência do bloco do Cone Sul em dedicar-se às questões políticas, deixando de lado as tarefas pendentes na área econômica. "Me inclino por um Mercosul preferencialmente econômico."A reclamação, feita ao tradicional jornal argentino La Nación, foi uma estocada naquilo que os negociadores uruguaios consideram como uma tendência tanto do Brasil como da Argentina em ocupar-se em simbolismos políticos ? como o apressado acordo com a Venezuela e o México ? em vez de pôr "a casa em ordem." Batlle criticou as restrições do governo argentino à entrada de produtos eletrodomésticos de linha branca e televisores brasileiros. Na Colômbia, o vice-presidente Francisco Santos Calderón, que participou da cúpula de Puerto Iguazú na semana passada, declarou ao La Nación que o bloco do Cone Sul, "avançou no papel, mas, como dizemos em nosso país, é preciso passar dos fatos aos feitos". A Colômbia pertence à Comunidade Andina (CAN), bloco que também reúne o Peru, Equador e Venezuela. Recentemente, a CAN definiu um acordo de livre comércio com o Mercosul. Mas, pela falta do acerto de alguns detalhes, os dois blocos não puderam assinar formalmente o acordo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.