Uruguai é contra Alca mais flexível

O governo do Uruguai indicou hoje que não aceitará o novo formato mais flexível das negociações da Alca, acertada entre o Brasil e os Estados Unidos há 10 dias, se não houver indicações de que trará vantagens em acesso a mercados e em investimentos. A posição será levado pelo ministro das Relações Exteriores, Didier Opperti, para Miami, onde os chanceleres dos países do Mercosul se encontram nesta quarta-feira como objetivo de fechar a posição do bloco para a reunião ministerial da Alca.Segundo ele, o Uruguai não quer "perder oportunidades de comércio" nem aceitará "uma fórmula que implique autolimitação" de acesso a mercados. "Para nós, comércio e investimento são os temas centrais", afirmou. "Se temos uma Alca ampla, que contemple todas as economias envolvidas, ela será bem-vinda. Se temos uma Alca diferenciada, mas sob medida para cada país, será bem-vinda".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.