Uruguai não instalará mais fábricas de celulose na fronteira

O Uruguai comprometeu-se a não instalar mais fábricas de celulose sobre o rio Uruguai, na fronteira com a Argentina, afirmou nesta terça-feira o jornal El País. A desistência visa acabar com um conflito ambiental que já dura meses. O problema começou quando o Uruguai autorizou a empresa finlandesa Botnia a erguer uma fábrica de pasta de celulose sobre o rio. A Argentina foi contra a instalação, temendo que as águas ficassem poluídas. Segundo o jornal, o governo argentino pediu ao Uruguai que se comprometesse a não instalar novos projetos de fábricas de papel sobre o rio, para que o diálogo entre as duas partes fosse retomado. "Nisso estamos de acordo, não serão instaladas mais fábricas. O Uruguai não tem projeto de nenhuma outra fábrica", disse o presidente uruguaio, Tabaré Vázquez, numa reunião com ministros, de acordo com o jornal. A proposta seria resultado das negociações das autoridades dos dois países com um enviado do rei da Espanha, Juan Carlos, que tenta mediar o conflito. Ainda há um ponto problemático na disputa: o bloqueio de pontes entre os dois países por ativistas argentinos, que está causando grandes prejuízos à economia uruguaia.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.