Uruguai pode rever sua participação no Mercosul

O governo do Uruguai alertou que vai avaliar a possibilidade de reduzir o status de sua associação ao Mercosul caso o bloco o impeça de firmar um acordo comercial com os Estados Unidos, informa nesta sexta-feira, 9, o jornal britânico Financial Times. Se não puder fechar acordos bilaterais como membro integral do Mercosul, o governo uruguaio não descarta reduzir sua associação ao bloco para "parcial", como é o status do Chile."O Uruguai precisa encontrar uma maneira de fechar um acordo bilateral com os Estados Unidos", disse o ministro de Comércio uruguaio, Danilo Astori, ao jornal financeiro. "Nosso pequeno país está encurralado, um prisioneiro dos desejos coletivos do grupo, e isso está nos causando sérios danos."O presidente dos Estados Unidos, George W. Bush, desembarca nesta sexta à noite em Montevidéu, após iniciar sua visita a América Latina pelo Brasil.O FT observou que, na semana passada, o presidente Lula, numa visita a Montevidéu, demonstrou disposição para melhorar os termos de comércio do Uruguai no Mercosul, e permitir uma maior flexibilidade para que o país possa fazer acordos comerciais bilaterais fora do bloco.Embora Astori tenha demonstrado disposição de negociar acordos com os demais do Mercosul, ele observou "que não vemos nenhuma disposição nos outros membros para fazer isso". O ministro uruguaio salientou que após 12 anos de negociações, nenhum acordo foi firmado entre o Mercosul e a União Européia. "Isso é uma questão de vida ou morte para setores inteiros de nossa economia", afirmou.Astori teme que a Argentina continue demonstrando menos disposição do que o Brasil para permitir que o Uruguai negocie acordos bilaterais. "Há notórias dificuldades com a nossa relação com a Argentina", afirmou. "Obviamente é aí que está o principal problema."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.