US Airways vai cortar empregos e criar novas taxas

A norte-americana US Airways vai cortar 1,7 mil empregos, aumentar ou criar novas taxas e reduzir sua capacidade doméstica, em outro exemplo de empresa aérea que tenta se manter operante em meio à alta dos preços dos combustíveis. A companhia planejou anteriormente uma redução de 2% a 4% na capacidade das principais rotas domésticas no quarto trimestre deste ano, mas agora informa que a diminuição chegará a 6% a 8%. Em 2009, a empresa pretende cortar mais 7% a 9% da capacidade.A US Airways se torna a terceira empresa aérea a anunciar que vai cobrar uma taxa pela primeira bagagem despachada - depois da American Airlines e da United - e a primeira a cobrar por bebidas não-alcoólicas em seus vôos. A US Airways vai vender refrigerantes, sucos, água e café por US$ 2 a partir de 1º de agosto. O preço das bebidas alcoólicas vai aumentar de US$ 2 a US$ 7.A US Airways espera gerar de US$ 300 milhões a US$ 400 milhões anualmente com a cobrança de US$ 15 pela primeira bagagem, a partir de 9 de julho, e com outras taxas.Dez aeronaves serão retiradas de operação, incluindo seis Boeings 737-300, em 2008 e 2009. O arrendamento de dois aviões A330 que seriam entregues em 2009 será cancelado e mais aeronaves serão tiradas de serviço em 2009 e 2010. Na semana passada, a empresa afirmou que não tinha planos imediatos de cortar mais Boeings 737 de sua frota.A companhia também anunciou hoje que vai encerrar suas operações noturnas em Las Vegas, exceto o serviço limitado na Costa Leste, a partir de 3 de setembro. O alto preço do petróleo levou a US Airways a cortar cerca de 30% de seus vôos noturnos em Las Vegas no início deste ano. As informações são da Dow Jones.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.