''Usar álcool no carro é pecado''

A polêmica sobre o etanol se transformou em um caso religioso. Um líder religioso saudita alertou que o muçulmano que usar o etanol em seus carros estaria cometendo um pecado. O alerta é do xeque Mohamed Al-Najimi, membro do Instituto de Estudos de Jurisprudência Islâmica na Organização da Conferência Islâmica. A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) já havia criticado o etanol por estar gerando uma alta nos preços dos alimentos em 2008. Agora, a advertência foi divulgada nos últimos dias pela rede de TV Al Arabiya, de Dubai, e o público alvo é a população saudita vivendo no exterior, principalmente os jovens que acabam de adquirir seus primeiros carros em países onde o etanol já é uma realidade. Najimi, porém, garante que não estava lançando uma fatwa, equivalente a um pronunciamento legal para esclarecer uma realidade. Mas adverte que o assunto ''deve ser estudo religiosamente''. Sua alegação é de que o etanol para carros é produzido da mesma forma que o álcool que se consome. Pela lei islâmica, esse consumo é proibido. Mas estudos feitos na Europa concluíram que foram químicos árabes quem trouxeram para o Velho Continente a técnica da destilação. A própria palavra álcool vem do árabe.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.