finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

USDA estima safra recorde de soja dos EUA em 3,913 bi bushels, acima do mercado

A produção de milho e soja dos Estados Unidos em 2014, já prevista para patamares recordes, será maior que o estimado há um mês e ligeiramente superior à projetada pelo mercado, informou o Departamento de Agricultura norte-americano (USDA) nesta quinta-feira.

ROS KRASNY, REUTERS

11 de setembro de 2014 | 14h30

Em Chicago, após a divulgação do relatório do governo, os futuros da soja caíram cerca de 1,5 por cento, o milho recuou mais de 2 por cento e o trigo, já na mínima desde julho de 2010, ampliou perdas devido a um salto maior que o projetado dos estoques globais.

"Estamos inundados com os estoques de grãos, não apenas dos EUA, mas no mundo", disse Don Roose, analista da U.S. Commodities em West Des Moines, Iowa.

A safra de milho, a 14,395 bilhões de bushels, superou a estimativa do mercado que estava em 14,288 bilhões. Os estoques finais da temporada foram estimados em mais de 2 bilhões de bushels pela primeira vez em uma década.

O USDA estimou a safra de soja dos EUA em um recorde de 3,913 bilhões de bushels, alta de 19 por cento na comparação anual e acima da projeção do mercado, de 3,883 bilhões de bushels. Isso abre possibilidade para uma colheita de 4 bilhões de bushels no outono, algo nunca antes imaginado.

Os estoques finais da oleaginosa no país irão mais que triplicar em 2014/15 após atingirem o menor nível em quatro décadas, para 475 milhões de bushels, ante 430 milhões da estimativa de agosto e o maior nível desde 2006/07.

No começo da semana, 74 por cento do milho e 72 por cento das lavouras de soja foram avaliadas como em boas ou excelentes condições, depois de chuvas favoráveis em agosto.

Neste momento, às vésperas da colheita, a maior ameaça para a safra seria uma ampla geada antecipada, após uma temporada amplamente favorecida pelo clima.

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSSOJAEUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.