Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Usiminas demitirá 1.326 funcionários até 30 de maio

Número engloba adesões ao PDV da empresa e outras 810 demissões para reduzir custos com equipe

Nathália Ferreira, da Agência Estado, e Dow Jones,

26 de maio de 2009 | 10h38

A Usiminas informou nesta terça-feira, 26, em comunicado, que 516 funcionários em duas usinas aderiram ao Plano de Demissão Voluntária (PDV) da empresa, o que representa um número menor do que o exigido. A siderúrgica disse também que pretende demitir outros 810 funcionários até o próximo sábado (dia 30 de maio), para reduzir os custos com equipe para o nível "histórico" de 10% dos custos gerais.

 

Veja também:

especialAs medidas do Brasil contra a crise

especialAs medidas do emprego

especialDe olho nos sintomas da crise econômica 

especialDicionário da crise 

especialLições de 29

especialComo o mundo reage à crise 

 

A empresa opera duas usinas brasileiras. Em Cubatão, no Estado de São Paulo, onde emprega 5,5 mil funcionários, e em Ipatinga, no Estado de Minas Gerais, onde existem 9 mil funcionários.

 

Um porta-voz da empresa disse que os cortes de empregos se devem à queda na demanda por aços planos no Brasil, que levou à interrupção temporária de três dos cinco altos-fornos da Usiminas - dois em Ipatinga e um em Cubatão. Atualmente, a empresa opera com cerca de 50% de sua capacidade total. A capacidade instalada da Usiminas é de mais de 8 milhões de toneladas de aço por ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.