Sergio Oliveira/Estadão
Sergio Oliveira/Estadão

Usiminas tem lucro menor que o esperado no 1º trimestre

Empresa teve lucro líquido de R$ 76 milhões no período, 30% menos que o projetado pelo mercado

Fernando Nakagawa, O Estado de S.Paulo

18 de abril de 2019 | 10h14

A Usiminas registrou lucro líquido de R$ 76 milhões no primeiro trimestre do ano, resultado 51,6% inferior ao lucro de R$ 157 milhões informado um ano antes. Nos últimos três meses de 2018, o lucro da companhia havia sido de R$ 401 milhões. O resultado do lucro líquido foi 30% inferior ao esperado pelos analistas, que esperavam ganho de R$ 109 milhões.

No comparativo entre mesmos trimestres, a margem líquida recuou de 4,9% para 2,2%. No quarto trimestre, esse indicador atingiu 11,7%. O lucro atribuível aos acionistas da Usiminas chegou a R$ 46,8 milhões no primeiro trimestre, 66,6% abaixo do reportado um ano antes e 87% inferior ao do quarto trimestre de 2018.

Já o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) atingiu R$ 474 milhões, apontando queda de 24% ante o visto um ano antes e retração de 29% na comparação trimestral. Na mesma base de comparação, a margem Ebitda ficou em 13,4%, ante 19,2% um ano antes e 10,7% no quarto trimestre de 2018.

No critério ajustado, o Ebitda somou R$ 487,5 milhões, recuo de 24%. Na relação trimestral, a retração foi de 41%. A margem Ebitda, nesse critério, passou de 19,8% para 13,8% no comparativo anual. No quarto trimestre, a margem era de 24,2%.

A receita líquida da siderúrgica mineira totalizou R$ 3,5 bilhões no período analisado, aumento de 9% na relação anual. No comparativo trimestral, a expansão foi de 3,1%. A performance é atribuída principalmente aos maiores preços e volumes de venda de minério de ferro no período.

Entre janeiro e março, a companhia obteve um resultado financeiro negativo de R$ 135,8 milhões, resultado bem próximo do informado um ano antes, de R$ 133,7 milhões negativos. No quarto trimestre, a siderúrgica informou um resultado financeiro positivo de R$ 637,8 milhões. No informe de resultados, a empresa destaca que além dos efeitos não recorrentes contabilizados no quarto trimestre (créditos Eletrobrás e correção sobre ICMS na base de cálculo do PIS/Cofins), a principal variação deve-se ao resultado cambial no período.

Desempenho em vendas

O volume de vendas de aço da Usiminas no primeiro trimestre de 2019 caiu 7,8% na comparação com igual período do ano passado. Segundo balanço divulgado na manhã desta quinta-feira, a companhia comercializou 1,004 milhão de toneladas de aço nos três primeiros meses do ano, ante 1,089 milhão em igual período de 2018. Na comparação com os três meses anteriores (último trimestre de 2018), houve retração de 2,1%.

A comercialização de minério, por outro lado, subiu 4,9% na mesma base de comparação. Com esses números, a companhia já vende, em volume, 88% mais minério que aço. A venda do minério alcançou 1,896 milhão de toneladas no primeiro trimestre do ano, alta de 4,9% na comparação anual e salto de 25,2% ante os três meses anteriores.

Segmentos

Em aço, as vendas ao mercado interno somaram 885 mil toneladas no trimestre, queda de 3,6% na comparação anual. Já as vendas ao mercado externo alcançaram 119 mil toneladas no período, queda de 30% em um ano.

No balanço, a empresa destaca que as vendas de minério cresceram graças ao mercado interno, que recebeu 416 mil toneladas da empresa nos três meses - volume 149% maior que o visto um ano antes. Para o exterior, foram vendidas 868 mil toneladas, queda de 19,9%. Já as vendas de minério para a própria Usiminas chegaram a 612 mil toneladas, volume 10,2% maior que um ano antes.

Mais conteúdo sobre:
Usiminasaço

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.