Usiminas vai investir US$ 1 bi em pelotizadora em Minas

Unidade vai processar o minério produzido nas minas da J. Mendes, recém-adquiridas pela empresa

Marianna Aragão, O Estadao de S.Paulo

28 de março de 2008 | 00h00

A Usiminas anunciou ontem que vai adicionar mais US$ 1 bilhão ao pacote de investimentos de US$ 750 milhões nas quatro minas da J.Mendes, adquiridas em fevereiro deste ano. O valor será investido na construção de uma unidade de beneficiamento do minério de ferro (pelotizadora), que deverá começar a operar entre 2013 e 2015. Segundo o presidente da Usiminas, Rinaldo Campos Soares, o objetivo é atingir a produção de 7 milhões de toneladas de minério em pelotas, produto que tem alto valor comercial no mercado internacional.A companhia comprou as minas da J.Mendes por US$ 925 milhões - valor que ainda pode chegar a US$ 2 bilhões, dependendo dos estudos de reservas das minas -, no esforço para alcançar a auto-suficiência de minério e exportar até 9 milhões de toneladas por ano até 2013. Hoje, a Vale é a principal fornecedora de minério da Usiminas. No final do ano, a expectativa é que a capacidade de produção das minas chegue a 5 milhões de toneladas.O primeiro embarque de minério para as unidades da Usiminas ocorreu na semana passada. Foram 27 mil toneladas da matéria-prima destinadas à Cosipa, usina controlada pela empresa em Cubatão (SP). Por questões logísticas, a Cosipa receberá a maior parte da produção das minas. Segundo Soares, em 2013, a capacidade de produção das minas deverá chegar a 29 milhões de toneladas, e 22 milhões de toneladas ficarão em Cubatão. A expectativa é que, com o fornecimento próprio, a Usiminas obtenha uma economia de até US$ 35 por tonelada de minério.Os investimentos na pelotizadora ocorrem em um momento de forte expansão das atividades da Usiminas, hoje o maior complexo siderúrgico de aços planos da América Latina, com participação de 52% no mercado brasileiro. A companhia prevê investir de US$ 9 bilhões a US$ 10 bilhões em aumento de capacidade de produção no Brasil até 2015.Um dos projetos é a construção de uma nova usina, possivelmente em Cubatão. Mas Soares negou que a unidade será feita em uma parceria com a Nippon Steel, conforme noticiado pelo jornal japonês Nikkei.''Isso é um erro de informação'', disse. No entanto, ele não descartou uma possível associação com os japoneses ''no futuro''. A Nippon Steel é a maior acionista da Usiminas hoje, com 24,7% de participação, por meio de sua controlada Nippon Usiminas.BALANÇOEm balanço divulgado ontem, a empresa anunciou o segundo melhor resultado de sua história. O lucro líquido de 2007 atingiu R$ 3,2 bilhões, um crescimento de 26% ante o ano anterior. A receita líquida da companhia foi recorde, de R$ 13,8 bilhões, aumento de 11% sobre 2006. Os números são resultado do aumento das vendas e, principalmente, do preço médio do aço.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.