carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Usina da Bunge e Itochu, no TO, começa a operar em 2010

A Bunge Alimentos, unidade brasileira da gigante do agronegócio Bunge Ltd, e a trading japonesa Itochu anunciaram nesta quinta-feira que o segundo projeto em açúcar e álcool da joint venture formada pelas duas empresas será desenvolvido no Tocantins e deverá começar a operar em 2010. De acordo com comunicado das duas empresas, a usina terá capacidade inicial de moer 1,4 milhão de toneladas de cana por ano, podendo atingir 4,4 milhões de toneladas/ano em um prazo de quatro anos. A usina será instalada no município de Pedro Afonso, ocupando um terreno de 94 hectares. O Tocantins é considerado uma nova fronteira para o desenvolvimento da indústria de cana, onde as terras são mais baratas em relação a regiões tradicionais. "Nessa iniciativa, a Bunge investirá 80 por cento dos recursos e a Itochu 20 por cento", afirmaram as companhias, que são parceiras em uma outra usina, a Santa Juliana, em Minas Gerais. Conforme anunciado em setembro, as empresas pretendem investir 800 milhões de dólares nos dois projetos. "Nesta usina (Santa Juliana), a pretensão é expandir a capacidade de 1,6 milhão de toneladas/ano de cana para 4,2 milhões de toneladas/ano (em quatro anos)", destacou a nota. A Itochu também tem 20 por cento de participação na Santa Juliana, comprada em 2007 pela Bunge junto ao grupo Tenório, operação que marcou a entrada da empresa na indústria de açúcar e álcool. A Bunge, que atua na originação e no processamento de grãos, é a maior exportadora do agronegócio do Brasil, com vendas externas de 9,7 bilhões de reais em 2007. O faturamento da empresa no Brasil, que também está nos segmentos de fertilizantes, ingredientes para nutrição animal e na fabricação de produtos alimentícios, somou 22,5 bilhões de reais no ano passado. (Por Roberto Samora)

REUTERS

11 de dezembro de 2008 | 19h31

Tudo o que sabemos sobre:
COMMODSCANABUNGEATUA*

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.