Coluna

Thiago de Aragão: China traça 6 estratégias para pós-covid que afetam EUA e Brasil

Usina Guaricanga, em recuperação judicial, tem novos donos

Grupo Negrelli vai assumir dívidas de R$ 175 milhões e injetar mais R$ 18 milhões na usina

Gustavo Porto, O Estado de S.Paulo

18 de fevereiro de 2011 | 00h00

A Destilaria Guaricanga, produtora de etanol em Presidente Alves (SP), foi vendida para o Grupo Negrelli, cujos sócios possuem uma transportadora e 38 postos de combustíveis na capital paulista. A unidade pertencia à Brasil Energia Renovável (BER-Par), em recuperação judicial, e os irmãos Osvaldo e Emerson Negrelli se comprometeram a assumir a dívida de R$ 65 milhões, cuja renegociação foi aprovada em dezembro de 2010 pelos credores, além de injetar R$ 18 milhões na empresa.

Outros R$ 110 milhões em dívidas tributárias também serão assumidos pelos novos sócios. O acordo prevê ainda a captação de cerca de R$ 20 milhões, dinheiro que será conseguido com a venda de uma fazenda da família Herrmann, donos da BER-Par e herdeiros do ex-deputado federal João Herrmann Neto, morto em abril de 2008.

"Quando a fazenda for vendida, o que deve ocorrer em cerca de um mês, o dinheiro será utilizado para pagar credores trabalhistas e ser injetado na usina", explicou o advogado Euclides Ribeiro, da ERS Consultoria, responsável pela reestruturação da Guaricanga. A destilaria, fechada desde agosto do ano passado, já foi assumida pelos novos gestores e a revisão do parque industrial, necessária para a operação, terá início em março.

A Guaricanga, localizada a 50 quilômetros de Bauru, no centro do Estado de São Paulo, tem capacidade instalada para moer até 1,3 milhão de toneladas de cana-de-açúcar e de produzir 120 milhões de litros de etanol. Mas, na atual safra deverá processar apenas 650 mil toneladas de cana. A expectativa é de que a moagem de cana comece em 1.º de junho e que 55 milhões de litros de etanol sejam produzidos na safra 2011/2012. Para gerir a unidade, a companhia trouxe o executivo Stefano Parini, que já atuou na recuperação da Destilaria Libra, em Mato Grosso.

Plantação. O novo gerente agrícola da empresa informou que a usina deve plantar cana-de-açúcar própria a partir deste ano, além de fomentar os fornecedores locais, até atingir a capacidade máxima de moagem na safra 2013. Quando estiver em pleno funcionamento, a Guaricanga deve empregar cerca de 800 pessoas. Para a operação nesta primeira safra sob a nova direção, cerca de 200 profissionais, entre caldeireiros, soldadores, mecânicos e destiladores já foram contratados, e outros 300 empregados devem ser agregados para cultivo das lavouras.

Ainda de acordo com Ribeiro, a BER Indústrias, braço industrial da BER-Par que produzia equipamentos para usinas em Capivari (SP), ainda tem um passivo trabalhista que foi renegociado durante o processo de recuperação judicial da companhia. Ele deve ser acertado pelos sócios pelo prazo acordado na assembleia de credores, ou seja, a partir de dezembro deste ano.

Tamanho

1,3 milhão

de toneladas de cana-de-açúcar por ano é a capacidade de moagem da Destilaria Guaricanga

650 mil

toneladas de cana devem ser moídas na atual safra

120 milhões

de litros de etanol é a capacidade de produção da usina

55 milhões

de litros deve ser a produção na safra atual

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.