Fabio Motta/Estadão -10/12/2015
Fabio Motta/Estadão -10/12/2015

Usinas de Angra funcionam normalmente, garante Eletronuclear

Mesmo com a situação de emergência decretada no município de Angra dos Reis, operação em Angra 1 e Angra 2 não será alterada porque há combustível estocado, segundo a empresa

Roberta Pennafort, O Estado de S.Paulo

27 Maio 2018 | 22h27

RIO - Mesmo com o município de Angra dos Reis, no sul do Estado do Rio, em situação de emergência, decretada pela prefeitura por causa da greve dos caminhoneiros, a operação das usinas de Angra 1 e Angra 2 não será alterada, reiterou neste domingo, 27, a Eletronuclear. Elas dispõem de combustível estocado suficiente para seu funcionamento, de acordo com a empresa.

+++ AO VIVO: Acompanhe a greve dos caminhoneiros em tempo real

Em nota divulgada no sábado, 26, a Eletronuclear informou que acompanha o cenário da falta de combustível no País em decorrência da paralisação dos caminhoneiros e que “não há qualquer comprometimento em relação à segurança da central nuclear. As usinas Angra 1 e Angra 2 estão operando normalmente, sem quaisquer anormalidades”.

++'A gente já tem o que queria', diz liderança dos caminhoneiros no Rio

As usinas fornecem 2.000 MW para o abastecimento de energia elétrica. A empresa divulgou que, “embora a necessidade de evacuação no caso de uma emergência nas usinas seja bastante remota, a empresa ressalta que sua frota de ônibus e carros está abastecida e com plenas condições de atender ao Plano de Emergência Local e dar apoio ao Plano de Emergência Externo, no caso de qualquer eventualidade”

++Diesel no Brasil está mais caro do que nos EUA e vizinhos, mas abaixo da média mundial

Uma eventual decisão de desligamento das usinas caberia à Comissão Nacional de Energia Nuclear (CNEN), autarquia vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação. A prefeitura de Angra poderia solicitar a medida ao órgão, caso a julgasse necessária.

Greve dos Caminhoneiros AO VIVO

Acompanhe aqui outras notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.