Hélvio Romero|Estadão
Hélvio Romero|Estadão

Usinas de cana paralisam as atividades em São Paulo

Por conta da falta de mantimentos causada pela greve dos caminhoneiros, todas as atividades do setor, incluindo o fornecimento de cana, não estarão funcionando até esta terça

Rene Moreira, O Estado de S.Paulo

28 Maio 2018 | 19h12

Produtores e usinas de cana de São Paulo paralisaram suas operações a partir desta segunda-feira, 28. A informação partiu da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), segundo a qual até esta terça-feira "todas as usinas e fornecedores de cana do Estado de São Paulo estarão com suas operações completamente paralisadas". 

O motivo é que a greve dos caminhoneiros deixou as usinas sem diesel para abastecer máquinas, equipamentos, peças, alimentos para refeitório, entre outros. Segundo a Unica, o estado possui 14 mil produtores rurais que fornecem cana, 150 usinas e gera mais de 310 mil empregos diretos, sendo responsável por 60% da produção brasileira de açúcar e etanol. 

AO VIVO: Acompanhe notícias sobre a greve dos caminhoneiros minuto a minuto

Além de aumentar os custos de produção, a greve "reduz o faturamento das unidades produtoras em aproximadamente R$ 180 milhões por dia, o que pode comprometer a sobrevivência de muitas dessas empresas", completa em nota a União da Indústria de Cana.

Mesmo após acordo, protestos continuam: entenda a greve dos caminhoneiros

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.